quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Amor, paz e felicidade para você em 2011

O Sol (Chimarruts)

Bom dia meu amigo,

O sol já se acordou.

A alma se renova,

Um novo dia despertou.

Amanheceu um lindo dia,

Da mais pura alegria.

Na árvore os pássaros cantam,

No céu as nuvens dançam.

O lindo azul do céu

Agora já se pode ver,

E num perfeito sincronismo

A lua vai se esconder.

Alguns são privilegiados

E acordam para trabalhar.

Mas outros tão desesperados,

Quando é que isso vai mudar.

São sinais de um novo dia,

Mas você diz ser normal.

Não deixe que na sua vida

O dia seja sempre igual.



Porque o sol chegou

Você acordou

Chegou para iluminar.

Hoje é um novo dia

Para quem quiser mudar.

Se há fé

Na sua vida,

Há fé no seu coração,

O sol lhe enviará

Sua boa vibração.

Chimarruts haga mufh

Vai mostrar para você

Que entre o céu e a Terra

O firmamento é você.

Tenha fé na sua vida,

Na paz do seu amor,

Pois agora é outro dia

E o sol já se acordou.



É, eu só quero te dizer:

Amor, paz, felicidade!

É eu só quero dizer pra você:

Amor, paz, felicidade!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A tradição dos números pares

Este ano merece uma retrô. Não apenas uma volta ao passado para lembrar aquilo que foi relevante. Porém, uma análise com umas pitadas a mais de coragem e determinação para fazer certo o que por ventura saiu errado.
Sou cheia de superstições. Não que eu queira, mas elas sempre aparecem. Talvez sejam crenças que acabo atraindo para minha vida.
E uma destas são os números pares. Não os considero números de azar apenas os acho intensos.
2010 foi um ano muito intenso e de grandes aprendizados. Eu gosto de coisas intensas. Acho-me muitas vezes intensa, e isso pode ser bom ou ruim. É muito relativo;
Contudo eu gosto mesmo dos números ímpares. Pois veja bem que meu número predileto sempre foi o sete e eu nem mesmo sei por quê. E este número desde criança tem me trazido muita sorte (ooOh!). Portanto, espero que 2011 seja um ano de muita sorte. Sem fortes acontecimentos. Apenas um ano novo.
Então vamos lá à retrô 2010:
Falecimento do tio. Entrei na faculdade. Larguei uma religião. Não que estes dois últimos elementos tenham seguido esta ordem exatamente. Uma doença. Falecimento do amigo. Novas experiências no âmbito afetivo. Uma paixão profissional. A criação de um blog. Uma viagem inesquecível. Pensei ter me tornado adulta. Compartilhei minha cama com alguém. Abandonei minha essência. Excesso de intimidade. 6 quilos a mais. Uma frustração profissional. Uma crise financeira. Um desequilíbrio emocional. Uma cabeça perturbada. O abandono dos estudos. Falecimento da avó. Mais desequilíbrio. Burrice sentimental. Dúvidas profissionais. Fiz da minha língua inimiga do meu coração. Afastei um grande amor. Um rompimento doloroso de uma relação. Dor sentimental. Arrependimento. Um grande aprendizado. Coragem. Indecisão profissional. 4 quilos a menos. Outra decisão profissional. Uma cabeça livre. Vontade de Mudança. Novos sonhos. Esperança em um novo começo.

Disse que não faria mais planos para minha vida. Pois bem, depois de tantas coisas que me aconteceram este ano, não me resta mais nada a não ser sonhar que minha vida daqui pra frente será diferente. Não sei se melhor, mas com certeza diferente.

Que 2011 venha carregado de paz... É tudo o que peço, quero, e preciso.
Paz para você também!

Relato de um assassino

É preciso ter sangue frio. Ser calculista e, acima de tudo, não se deixar abalar por sentimentalismos inúteis. As emoções não devem existir; pena, compaixão, arrependimento. A única coisa que se permite sentir pela vítima é desprezo. Talvez um prazer insano durante o ato, típico daqueles que estão acostumados a tirar vidas.
É o que sinto agora, enquanto corto cada parte de seu corpo, separando os pedaços, retalhando. É mais interessante quando é violento, sangrento. Você agoniza, mas não morre. Ainda. A lâmina afiada torna a investir contra o seu corpo, repetidamente, com força, com insistência. Minha expressão continua impassível, mesmo quando cravo os dentes na pele, estraçalhando a carne. O sangue continua a jorrar e espalha-se pelo chão, manchando tudo em volta com um curioso tom de vermelho-berrante.
Um sorriso amargo surge em meu rosto. Sei que está morrendo. Quero que esteja; preciso que esteja. Apesar disso, sinto ainda o pulsar da vida dentro do corpo frágil. Cerro os dentes. Não sei mais o que fazer.

Matar você em mim tem sido uma tortura. Juro que dói mais em mim que em você.


"You know she's a little bit dangerous"

Autora: Marina
Disponível em  http://do-fundo-do-mar.blogspot.com/2010/12/relato-de-um-assassino.html


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Então é natal...

Êêêhh pra mim que entrei no clima natalino, tem como resistir?
não dá né?
Todo canto é musiquinha, é luzinha, é comidinha...nhaminhami!
Hummm!
E ai que fui com as crianças na vila encantada. Um evento que sempre acontece neste mês de dezembro aqui em Belém. Na verdade, não sei se eu que tomei cuidei delas ou se elas que cuidaram de mim...hehe
Aiai...
Owncii


Gente ela não queria liberar o sansão pra foto. O jeito foi usar a força né?
shuahsuahs

 Que meigo, ¬¬

 trenó

hahahaha
Gente, JURO que não fui eu! =x
Duas semanas só comendo torrada pra quê? pra quê?
É chocolate gente, não dá!

Nem sorvete, ai G__Zuis! prometo que vou passar fome essa semana de novo.
ahsuahsuahs

Primas!

Meu Papai Noel


Mami's

Gente é Falsa! É FALSA!

No ato!


Legal ter meu bom humor de volta. Seja bem-vindo!

Feliz natal !!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Mary e Max


Sempre que assisto algum filme ou leio algum livro, coisas que gosto muito, me pergunto ao final de cada um:
O que eu aprendi com isto? O que eu posso aplicar na minha vida?
Estes dias em que estou de férias tenho ocupado meu tempo desta forma.
Hoje assisti um filme que há um tempo está guardado no meu PC.
Aliás, tenho uma pilha de filmes ainda pendentes para assistir.
Mas hoje assisti o filme “Mary e Max”. É uma animação em stop motion. Eu adooooro filmes em animação mais ainda em stop motion. Para quem não conhece, são aqueles filmes em que as personagens e todo ambiente é feito de macinha. Bem, eu acho que é macinha de modelar.
O filme conta a história de uma garota de 8 anos, 9 meses e 7 dias, como ela diz, que mora na Austrália. Uma criança diferente das demais, tímida. O pai, um trabalhador de uma fábrica de chás e a mãe uma beberrona. Mary não tem amigos e é uma criança cheia de dúvidas.
Um alguém falou pra ela que as crianças eram encontradas dentro de copos de cerveja. Essa era a verdade absoluta de Mary em relação a como as crianças eram feitas.
Certa vez, olhando o catálogo de endereços ela decidiu escrever uma carta para algum norte-americano para perguntar se lá as crianças eram encontradas em latinhas de coca. Aleatoriamente ela escolhe o endereço de Max, um senhor de meia idade, 44, depressivo, solitário, gordo, cheio de complexos e frustrações, morador de Nova Iorque.
Ela escreve para ele e conta sobre sua vida, fala das coisas que mais gosta (chocolate e leite condensado) e faz enfim sua pergunta.
Max responde a carta de Mary, e a partir daí eles se tornam amigos.
A historia vai se desenrolado baseada nas conversas(cartas) de um senhor já desiludido da vida, confuso. Na verdade, ele achava as pessoas estranhas, não tinha grandes planos de futuro, não entendia certas contradições humanas. Isto o deixava deprimido. Por outro lado, Mary, era uma criança que vivia num meio familiar conturbado, deficiente de atenção dos pais, sem amigos, mas que ainda não conhecia muito sobre a vida.
Enquanto Mary com suas perguntas deixava Max muitas vezes angustiado, pois a inocência das perguntas de Mary muitas vezes acabavam mexendo em feridas do seu passado, Mary, ia aprendendo um pouco mais da vida. O interessante é a simplicidade da conversa dos dois, os desejos de ambos, os gostos, e a paixão desenfreada pelo chocolate que ambos nutriam.
Mary era a única amiga de Max e vice-versa. A amizade dura por muitos anos. É possível acompanhar os avanços e os fracassos da vida de Mary.
A história é realmente muito interessante, de uma riqueza enorme de detalhes que no momento não é conveniente contar, mas é impossível assistir o filme sem se deixar tocar pela dramaticidade da vida dos dois que tinham em comum o fato de serem diferentes, marginais, no sentido de estarem à margem da sociedade. Mas que se completavam, apesar das diferenças, dos defeitos de ambos, seus gostos, e a distância.
Passamos a vida inteira na tentativa de tornar-nos seres perfeitos, e isso está certo. A tentativa é bem válida, dependendo do conceito de perfeição de cada um.
Contudo, queremos sempre ser aceitos, entendidos, mas não procuramos entender o outro.
Eu li outro dia num livro que devemos ser aquilo que queremos ser e deixar que os outros sejam aquilo que querem ser.
Não devemos deixar que os defeitos dos outros influenciem na nossa forma de ser, de viver. Mas tenho a certeza de que cada pessoa por pior que seja sempre vai ter algo a contribuir, e são estas coisas que devemos pegar e aplicar nas nossas vidas.
Lembre-se que estamos num constante processo de evolução, você é responsável por aquilo que você é, não culpe ninguém, o ambiente ou qualquer outra coisa, se você não é aquilo que gostaria de ser.
Mas cada dia é um novo dia e você sempre terá “apesar de”, a oportunidade de se melhorar.
É difícil se libertar de velhos hábitos, velhos costumes, velhos paradigmas.
Mas às vezes é necessário romper com o passado para enfim, VIVER o presente.


“Depois de um tempo você aprende que se leva muito tempo para torna-se aquilo que deseja, e o tempo é curto. Por isso plante seu jardim e decore sua alma ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.” (Willian Sheakspeare)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

lálálá...


E hoje eu acordei radiante, rs.
Liguei o som, coloquei Armandinho e Chimarruts para cantarolar na minha manhã de segunda.
Casa pra varrer, louça pra lavar, comida pra fazer...
E eu simplesmente alegre com meu dia, pode?
Bem, eu quero que daqui pra frente todas minhas manhãs sejam assim, olha.
Acho que isso é o que chamam de “estar cheia de vida.”
Na verdade, é assim que venho me sentindo nestes últimos dias.
Não, não estou usando drogas tá? U.U
Acho que são uns livrinhos que andei lendo, só coisa boa, olha.
Na verdade acho que há muito tempo eu estava precisando disso. De um tempinho pra mim, para ler, para ouvir músicas, para assistir TV, dormir a tarde toda. Muito bom!
Estou com o espírito renovado, revigorado.
Um livro em especial tem mudado minha vida e minha forma de ver o mundo. Bem, já haviam me falado de tudo que está ali naquele livro que encontrei guardado dentro de uma caixa.
Mas eu não dei a devida importância ao livro, nem a pessoa, muito menos ao conteúdo do livro quando deveria. Mas agora, nossa! To muito feliz com minhas novas descobertas. Não digo que tardias, o importante é que estão acontecendo.
E o engraçado é que quanto mais me interesso pelo assunto, mas coisa me aparece sobre. E o próprio livro explica isto.
Bem, vou parar de falar sobre isto porque acho que ninguém está entendendo nada do que to falando. Quando eu estiver preparada eu falo sobre o conteúdo do livro. Vai ser um prazer compartilhar com vocês.
Eu só posso dizer por hora que minha vida tá mudando, e eu tô adorando!  sinto minha alma leve... será que você já sentiu isto?
Bem, deveria experimentar. Espero contribuir com meus posts posteriores para que isto aconteça com você também. É ótimo!
E tenho certeza que ainda tem muita coisa boa vindo por ai, estou empolgada com a chegada de 2011
Vai ser um ano de grandes conquistas, certeza!


______________________________________

“Você tem que estar preparado para se queimar em sua própria chama. Como se renovar sem primeiro se tornar cinzas? (Zaratrusta)

Nando Reis e Zeca Baleiro.

Bem e o mês de dezembro começou cheio de surpresas. Cheio de coisa nova pra mim.
Já faz um tempo que tenho vontade de ir para um show do Nando Reis, e olha que maravilha, este mês teve Nando Reis e Zeca Baleiro tudojuntoemisturado aqui em Belénzim.
E tudo free, viu?
E é claro que eu não ia perder, né benhê!?
Eu e a mulheres baderneiras e jornalistas que eu AMO estivemos lá no centro de convenções marcando presença.
Não conhecia muitas músicas do Zeca, mas adorei a participação dele, agora sou fã! Rs
Mas o Nando arrasou, detalhe, no dia do show era a data do aniversário de Cássia Eller, o que resultou em um show em tributo a Cássia; Um espetáculo.
Cantou clássicos que iam de Cássia, jota quest, Legião Urbana, entre outros que nem lembro mais. Sem contar com suas músicas que amodorodepaixão!

                                         Olha ai o Zeca arrazando!
  Galera de comunicação
Eita nós, e isso foi só um drink de lima verde!kkkkkkkkk
Só nega linda não? ushushuas
 Olha ai o Nando arrasando
"Quando o segundo sol chegar, para realinhar as órbitas dos planetas..."

O show como já era de se esperar foi maravilhoso, cantei, dancei, gritei, chorei. (kkkkkkk)
Uma piada! Não, não dei vexame. Eu acho! hehehe
Foi um show foi simplesmente fantástico, inexplicável e inesquecível.
Ahhh, e muito revigorante, olha. Amei!




sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

ESCREVER, mudar. MUDAR, escrever

E lá se foram 8 meses de blog. E durante este período já escrevi inúmeros textos.
Textos amorosos.  Textos de auto-afirmação.Textos melancólicos. Textos diálogos. Textos em primeira, segunda e terceira pessoa. Textos sentimentais. Textos patéticos. Textos críticos.
Textos e mais textos...
Contudo, outro dia eu estava me perguntando: Por que a maioria das pessoas que possuem um Blog são problemáticas? (rs)
E cheguei a conclusão de que todo ser humano por si só é um problema.
As pessoas que gostam de escrever talvez tenham apenas um pouco mais de sensibilidade
Para se expressar "sem medo de represálias".
É de se esperar de uma pessoa que tenha um blog ou que escreva, sei lá, que esta tenha um diferencial. Um algo a mais para dizer. Algo que foi capaz de ver e as outras pessoas não ou apenas de descrever, não sei.
O grande problema que tenho percebido é o comodismo que talvez “ter um blog” pode estar causando a algumas pessoas.
Escrever alivia a tensão, sentimentos indesejados, e tudo o mais que estiver em excesso. É FATO!
Contudo, depois que o sentimento ou sensação é aliviado(a), a vida volta a seguir exatamente como era antes, com os mesmos problemas. E quando estes problemas voltam a aparecer, é só escrever novamente.
Ter um blog pode ser maravilhoso. Você pode compartilhar suas idéias e pensamentos. E mais, pode propor mudanças a sua própria vida também...
Ter gosto pelo sofrer, era uma característica dos ultra-românticos do século XVIII/ XVIIII .Então não escreva apenas para ter o que contar. Escreva para contribuir, nem que seja com você mesmo.
Estamos no século XXI e a coisa tá pior do que antes. Se procurarmos, talvez encontremos hoje mais motivos para sofrer do que antes.
Pode parecer careta, mas ter um BLOG pode ser mais um elemento contribuinte para seguirmos caminhando sozinhos nesta sociedade individualista que é a nossa.
Eu já escrevi só para aliviar o que estava sentindo...
Hoje, a partir de hoje, quero somar. Quero aprender com aquilo que escrevo, com aquilo que sinto. Dominar meus sentimentos através da escrita.
Senão o tempo vai passar e vou ter sempre a mesma história para contar...
A história de uma menina frustrada, problemática, pessimista, entediada...
Bem não é exatamente esta a história da minha vida.
Posso até já ter sido tudo isso. Mas estou em uma fase muito boa de renovação, e sei que posso sim ser uma pessoa melhor a cada dia.
E é isso o que importa.
Mudar é sempre uma boa pedida. Selado!


Tem gente que tem medo de mudar. Eu tenho medo de permanecer sempre o mesmo. (Chico Buarque)



segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Segue Em Frente

Será que o tempo apaga o que foi dito e o que não foi?
Será que tudo mostra nosso caminho?
Mas se não for
A gente segue em frente
e o mundo olha por nós,
A gente segue em frente

(Refrão)
E talvez, não seja assim tão fácil,
Talvez assim seja melhor
Talvez, cada um reme pr'um lado
Mas os mares que te cercam...
Talvez sejam iguais aos meus
E a gente segue em frente...

E talvez, não seja assim tão fácil,
Talvez assim seja melhor
Talvez, cada um reme pr'um lado
Mas os mares que te cercam...
(talvez sejam iguais aos meus e a gente segue em frente...) 

Sandy & Júnior

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Estar bem...

Depois do fim de um longo relacionamento muitas coisas passam por nossa cabeça e tornam mais difícil o desapego.
As lembranças bombardeiam à  cabeça a todo instante. 
Os lugares, os sorrisos, as alegrias, as tristezas, enfim...
Tudo pertuba nossa cabeça como se algo não quisesse que saíssemos dessa onda de desespero, momentânea, diga-se de passagem.
Pior ainda são os constragimentos que somos obrigados a passar, rs.
A começar pelos objetos pessoais que é claro, devem voltar a viver com seus respectivos donos.
Depois as pessoas. Você sai na rua e encontra um velho conhecido e ele logo lhe pergunta: E ai, já casou?
kkkkkkkkkkk
Contudo, é impressionante a capacidade que um rompimento seja lá com o quê ou com quem tem de transformar uma vida, uma cabeça, por pior que seja.
É uma fase de reflexões. Hora de colocar tudo na balança coerentemente. Embora seja difícil, bem difícil aceitar a realidade.
Quanto mais rápido isso acontecer, melhor.
Já diz o velho clichê, aliás clichê é o que não falta  nesse blog, (hehe)
"A dor é inevitável mas, o sofrimento é opcional."
É normal chorar, se desesperar muitas vezes. Mas sempre temos que ter a certeza de que "tudo vai passar...." (outro clichê, viu? haha)
Por vezes pensei que meu mundo tivesse caído, em pedaços...Fiz aquelas promessas que toda MULHER faz em fim de relacionamentos: "Nunca mais quero saber de homem na minha vida."
Mas depois eu vi o quanto eu estava preocupando as pessoas que ainda fazem parte ativamente da minha vida. E por estas, decidi que ficaria bem... Mas não fiquei.
Só depois fui me dar conta que não é por terceiros que devo ficar bem, e sim por mim.
Tenho sofrido muito com a separação, mesmo sabendo que está foi a melhor  escolha. Eu acho. Bem, mas não sou hipócrita em dizer que não mais sinto nada. 
Às vezes me vem uma súbita vontade de chorar mas...
Depois me lembro do quanto que fui feliz, e logo um sorriso se estampa em meu rosto involuntariamente.
E fico assim, dividida entre o choro e o riso.
 Chorar não é sinônimo de fraqueza. Chorar é um remédio santo para a alma.
Li isso em algum lugar "quem nunca chorou, não sabe o que tá perdendo." É verdade!
Ainda habitarás meus pensamentos por algum tempo e quero acreditar que ainda habitarei os seus… E que lembraremos com saudades, dos poucos e intensos momentos que tivemos juntos nestes 572  dias. Mas só isso…
Idiota foi o cara, desculpe-me a ousadia, que inventou a história de que "amar é sofrer."
Não é não cara!
Quando um amor se torna sofrimento, é porque tem algo de muito errado acontecendo.
Ai, ele sai do estágio de amor e passa a se caracterizar como "uma doença." 
E eu bem sei o que é isso.
Gostaria de explicar para todos os meus amigos e familiares que por ventura lerem isto aqui que não estou escrevendo tudo isto só para mostrar-lhes que estou bem...
Ainda não estou, mas vou ficar!
Lembrem-se que vocês só estão vendo uma parte de todo o processo. Não julguem nada,  nem niguém. Isso não me ajudaria nem mudaria os fatos.
Encontrei uma força tão grande dentro de mim que eu pensava que nem mais existia.
Parei de me culpar também pelo fato de não ter dado certo. 
Não deu não deu. Eu aprendi muito com tudo isso, e cara este é só o começo. E isto me deixa contente.
Saber que ainda tenho muita coisa para aprender com tudo isso.
Não esqueça, nunca. Apesar das dificuldades sempre tem um lado bom.
E comigo não seria diferente, de forma alguma.
O lado bom, é que agora eu tenho tempo. 
Tempo para cuidar de mim (ohhh) e como preciso de cuidados pessoais. Por dentro e por fora!
Tenho mais tempo para meus amigos que estavam carentes da minha atenção.
Terei mais tempo para minha família que sempre está comigo, e tem me surpreendido muito.
Tempo para ler meus livros e assistir meus filmes pendentes.
Terei enfim, tempo para me refazer. Montar um novo e melhor ser dentro de mim.
Que por vezes pensei que não mais fosse possível, mas aos poucos estou o vendo crescer, novamente .
Quero dedicar-me na minha vida profissional. (Escreve ai o que tô dizendo, hehe.)
E mil e outras coisas que por um tempo deixei de fazer.
As lembranças, os bons momentos, continuarão a existir.
Mas minha vida não vai parar por conta disto. Não vai!
Eu não perdi nada nem niguém... Pois a gente não perde aquilo que não tem.
Eu não tinha um companheiro. Ele só estava comigo por que queria e não por que eu o tinha, nesse mundo"ninguém é ninguém", e olha que ironia, aprendi isto justamente com ele.
Nem perdi meu tempo, ao contrário, ganhei muito com tudo que me aconteceu. Do começo ao fim.
Não me arrependo de nem um minuto sequer, nem dos maus, Pois sem eles jamais chegaria a certas conclusões.Às vezes a gente aprende da forma mais difícil, mais cruel.
Como diz minha mãe: "Quando não é pelo amor é pela dor."
Mas sempre se aprende, sempre.
Eu fui muito feliz, muito. E é isso o que importa. 
E a vocês, deixo o meu sorriso:


E o futuro?? 
hsuashuahsuahsuh
Este é muuuito incerto. Então deixa rolar...

_________________________________________________

  Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente, desesperadamente, agudamente infeliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional.
(Agatha Christie)

sábado, 4 de dezembro de 2010

A chuva. A morte e o renascer.

Agora é tempo de chuva aqui em Belém, na verdade, sempre é. Mas neste período de final de ano até o início da ano que ainda vem, estas são mais acentuadas.
Este período sempre me deu medo. Pois a chuva sempre que vem leva algo consigo.
A cidade de Belém é repleta de mangueiras, e neste período chuvoso é bem perigoso passar debaixo de uma. O vento provocado pela chuva sempre derruba mangas, no caso da minha casa: jacas, a chuva sempre derruba uma jaca aqui em casa, rs, e deixa um lamaçal tremendo e um mal cheiro também.
 A chuva leva tudo o que vê pela frente.E afinal, leva pessoas também.
Na verdade, não sei se estou sendo injusta ao culpar a chuva por isso.
Mas acontece que sempre que entramos neste período chuvoso pessoas queridas vão embora da minha vida. Pra sempre!
Meu avó quando eu tinha 10 anos de idade faleceu e olha só, estava chovendo neste dia. O céu nublado, eu lembro bem.
Dizem que eu era a neta querida dele. Era  a caçula também.
Eu me lembro com muito carinho dele...

No começo deste ano meu tio de 50 anos morreu inesperadamente de um câncer que ninguém sabia...

Mês passado a chuva chegou em Belém e olha só, já começou a fazer suas desgraças.
Minha vó de 73 anos de idade também faleceu. Muitas pessoas dizem:- Há mais ela já tinha 73 anos!
Sim, e uma saúde de ferro, eu digo. 
Como ela mesmo dizia: - Eu não me troco por uma garota de 20! hehe
Ela tinha um senso de humor...
A chuva chegou, e num dia desses trouxe a morte consigo. Ela a levou, e nem pude me despedir.
Dizem que eu era também sua neta preferida.
Lembro-me que a última vez que a vi eu estava no ônibus voltando da faculdade. Meu ônibus passou em frente a casa dela e, ela estava lá sentada na sua cadeirinha de balanço fazendo seu crochê, e como ela gostava de fazer crochê. Lembro-me de uma blusa que uma vez fez pra mim, que por sinal, não faço idéia de onde esteja. Eu a vi sentada na cadeira pela janela do ônibus e de repente deu-me uma vontade de descer e ir lá perguntar como ela estava. Mas eu estava muito cansada pra isso. E não fui...e não mais a vi senão naquele caixão!
Dizem que ela reclamava por eu quase não ir visitá-la.

Sabe, sei que sobre a morte nada podemos fazer. Por mais que pensemos em inúmeras coisas que poderiam ter evitado o incidente. Mas nada, nada pode ser feito quando se chega a hora de fato.
Mas eu tenho aprendido bastante sobre a morte, quer dizer, eu acho que tenho aprendido.
Às vezes me pego pensando sobre o assunto e muitas vezes sinto medo. Calafrios.

Contudo, sei que a chuva talvez não seja algo tão ruim assim.Nem a morte!
A chuva por mais incrível que possa parecer, ou melhor, que eu possa acreditar, também pode consigo trazer a vida. 
O que seria das plantas sem a chuva? Sem o alimento que às fazem crescer e crescer...
e consequentemente o que seria a vida sem ela, a chuva? 
Ela renasce plantinhas ressecadas pelo sol, dando-lhes vitalidade e força para continuar a crescer.

Veja a morte também traz consigo o renascimento, é horrível nos separarmos fisicamente de alguém, ainda mais quando a separação traz consigo mágoas e ou ressentimentos.
Porém, não devemos encarar a morte como algo tão ruim. As pessoas morrem para este mundo cruel em que vivemos e renascem num mundo melhor. A morte é a única esperança do ser humano de uma vida melhor...
Vejo desgraças a todo momento e isso me dá  náuseas.
O que podemos esperar é que realmente exista um pote de ouro no fim do arco-íris. 
Uma nova vida!Uma esperança!

Continua chovendo muito aqui em Belém. 
E ontem a chuva me levou um outro alguém especial. Só que dessa vez não foi a morte que veio camuflada com a chuva, foi a própria vida. É, eu perdi para a vida.
E sinto que foi pra sempre...

Dessa vez eu poderia ter evitado tudo. Mas nada fiz para tal...
Eu poderia ter evitado essa morte em vida.Poderia sim!

Se eu apenas tivesse vivido de verdade, deixado o amor viver em mim de verdade...
Mas eu não deixei o amor viver. Deixei que o orgulho,o egoísmo, a insegurança e a obsessão ocupassem o seu espaço e aos poucos ele foi morrendo...

E agora ele já se foi, e não há mais nada que eu possa fazer...
Ele partiu não tão inesperadamente. Sua morte foi um tanto previsível. Mas me fiz de cega quando poderia ter evitado tudo...
Eu pisei nas suas crenças, fiz piada de seu sentimento...
E agora eu não o tenho mais aqui perto de mim. Tá doendo muito, muito. Só eu sei o quanto.
Mas sei que ele vai alçar vôos muito altos. E vai encontrar um outro coração para amá-lo e assim renascer novamente.

Na verdade, eu sinto que em mim ele ainda está vivo, tentando resistir no meio de tanta coisa ruim. Mas, apenas 50% dele ainda resiste em viver.

Sua outra parte, sua metade já morreu...

Mas a metade que vive em mim e a trancos e barrancos tenta resistir, vai ficar guardada num lugar muito especial, na memória. 
Até que um dia volte novamente a viver ou enfim, morrer de vez.


____________________________________
Seguirá contudo cantando a velha canção que embala os corações despedaçados:

"Se lembra quando a gente chegou um dia acreditar. Que tudo era pra sempre, sem saber. Que o pra sempre , sempre acaba..."




quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Hoje

Quero me amar novamente.
Quero me sentir bonita mais uma vez
Quero me sentir cheia e não vazia por dentro
Quero amar e ser correspondida na mesma proporção
Quero meu orgulho de volta
Quero ler um bom livro
Quero comer chocolate
Quero escrever algo bom e positivo
Quero minha auto-estima
Quero chorar por nada, apenas chorar. Mas nem isso consigo

Hoje eu só quero fazer alguma coisa que me faça sentir melhor...

____________________________________________
Talvez este seja na verdade, o mal do século.

Já sei vou ler um livro de auto-ajuda. 

Aquilo que aprendi na universidade pública...

...Até agora!

(especificamente no curso de comunicação)

- Não adianta só passar no vestibular, essa é a parte fácil do processo.

- Sabe aquele velho papo de que na universidade pública tudo é avacalhado!? Humrum, é fato!


- Crises emocionais me acompanharão pelo menos durante os próximos três anos da minha vida.

- Frustração faz parte! Ohhh, se faz. Aliás, frustração combina com depressão.

- Não conte com o professor. A onda é ser autodidata.

- Na universidade(pública) tem hierarquia e não democracia.

-  Quanto mais estudo mais terei o que estudar.

- Nunca fale mal de um professor, pois nunca se sabe quando ele está no banheiro, escutando.

- Estudar em universidade pública é coisa de rico, quase sempre.

- Antes de escolher o curso de jornalismo em uma universidade pública, você precisa comprar seu kit de sobrevivência: Máquina fotográfica, gravador e claro, um all star.

-  A galera de comunicação é a mais bitolada, all star, calça xadrez, e tudo que for diferente.Ahh, e boiolada também. (Nada contra!)

- Jornalismo não é para quem quer é para quem tem paixão!! É difícil escolher ser pobre...rs (isso não tem graça)


- Burocracia = universidade pública

- O pessimismo é um câncer! Mata aos poucos...

Ai minha quimioterapia, ai, ai...


__________________________________________________


"Muitos dizem que sou apenas mais um a tentar. Eu digo que sou menos um a desistir." (Diego Marchi)

Quero só ver onde isso vai dar. Só ver...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

De novo mais uma vez...

Eu já expliquei uma vez o motivo de mudar tantas vezes o template do meu blog. Tá curioso?

Então lê o post: http://personagens-do-eu.blogspot.com/2010/07/de-cara-nova.html

E hoje eu me pergunto se depois de tantas mudanças o problema não seria justamente minha personalidade.

#Personalidade Fail !

kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Para meus amigos pré-universitários

Quando você entra para o mundo acadêmico. Encontra pessoas de todas as cores, gêneros, gostos, etc.
 Já estamos no final do ano. Fase de realização dos maiores vestibulares do Brasil e menores também, se o ENEM permitir, é claro. ENEM fail! De novo!?
 Tá mas aqui vai uma lista para os futuros calouros de 2011 se previnirem de derminados grupos de pessoas que por certo encontrarão ao entrarem na universidade. Depois não digam que não avisei...

Vou começar com o grupo dos Vadios, normalmente filhos de pais ricos, outros são pobres mesmo. Estes aparecem no dia da matrícula e só voltam a aparecer novamente no final do semestre implorando nota para o professor. Possuem um elaborado sistema de quadrilha especializada em falsificação de assinaturas de listas de presença.
Há o grupo dos intelectuais propriamente ditos, aqueles que chamamos de Nerd's, costumam rir das próprias piadas e nunca chegam atrasados. Nem na aula mais péba. Never!
Há também os pseudo-intelectuais. São aqueles que  se consideram intelectuais mas que a turma toda sabe que não são. Decoram frases de nietzsche e Schopenhauer e sempre tentam vantagem em tudo.
Há o grupo dos alunos de esquerda, para identifícá-los  é só procurar por pessoas que andem com camisas com fotos do  Che Guevara. Em sua maioria estão envolvidos em movimentos estudantis mas possuem as piores médias globais da universidades. Sempre que ver uma camisa vermelha fique em alerta pois estes são altamente contagiosos.Eles também acreditam que o marxismo é a solução para o futuro do Brasil. 
Há também os autistas que caem de pára-quedas na universidade, do tipo: quem sou? onde estou? e para onde vou? Vivem em intenso estado vegetativo. Acordam todos os dias  às 6:00h mas sempre chegam atrasados nas aulas.Estudam o que o professor manda e não lêem as leituras de apoio, e isso já lhes basta.
Há o grupo dos que se sentem rejeitados socialmente, composto por: Gordos, magrellos, pobres, negros, dentuços, louras, Gays, etc. E há também aqueles que de fato são rejeitados.
Há o grupo, ou melhor, estes não vivem em grupos. São auto-suficientes e consequentemente sempre estão por fora de todas as notícias e fofocas que rolam na faculdade, conhecidos também como anti-sociais ou emos.
Há o grupo das patricinhas. São aquelas que combinam toda semana a cor do esmalte e não almoçam nos restaurantes universitários.
Há o grupo da gelada, estes são os mais organizados de todos. Encontram-se todos os dias após as aulas na mesma hora e no mesmo lugar, o bar da esquina.
Há o grupo dos puxa-sacos, estes são demais. Conhecidos também como "sombra do professor", são capazes de qualquer coisa por um estágio. No caso das meninas, vale até sair com aquele professor que fede a cigarro e tem um bafo de onça.
Há o grupo dos tarados. Qualquer coisa que você fale perto deles, como por exemplo: "vou apertar o meu cadarço" vira motivo de piada. 
Há também o grupo dos revoltados, na maioria ateus. Utilizam inúmeras vezes ao dia a palavra "merda." Essa universidade é uma merda, a sociedade é uma merda, minha vida é uma merda e por fim: vou me matar!"
E claro, eu não podia esquecer que existe também o grupo dos observadores .Passam seus dias na universidade analisando a personalidade de cada pessoa que passa em sua frente. Estes possuem o mais alto nível de periculosidade pois são sutis, sua presença muitas vezes nem é notada. Mas são altamente nocivos pois costumam julgar as pessoas pela aparência fazendo análises preconceituosas e o pior, ainda escrevem em Blog's.


Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência. Não deprime!

SEJA UM IDIOTA

A idiotice é vital para a felicidade.

Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre. Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.

No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota! Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você. Ignore o que o boçal do seu chefe disse. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele.

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.



Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo,soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?

hahahahahahahahaha!...

Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana? Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?

É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí,o que elas farão se já não têm por que se desesperar?

Desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não.                                      
Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.

Dura, densa, e bem ruim.

Brincar é legal. Entendeu?

Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço,não tomar chuva.

Pule corda!

Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.

Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.

Teste a teoria. Uma semaninha, para começar.

Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são:
passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...

Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!

Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!

Arnaldo Jabor

sábado, 6 de novembro de 2010

Xenofobia!? No Brasil!?

Já faz um tempo que gostaria de falar sobre isto mas sempre deixei pra depois, pois sempre que toco no assunto alguém diz: “Vocês têm complexo de inferioridade.”
No entanto, não vejo momento mais oportuno do que este...
Ontem vi um vídeo que me mandaram por e-mail. Fiquei indignada com o que vi e claro, como sempre tenho um pé atrás em relação a estes vídeos que me mandam por e-mail  acabei indo conferir se os fatos conferem a realidade. E me decepcionei quando vi o assunto bombando no twitter. O link está disponível abaixo:


Gostaria de aproveitar este momento que envolve preconceito e revolta para esclarecer algumas perguntas para pessoas que compartilham deste tipo de pensamento.
Eu também já fui vítima deste tipo de preconceito quando estive por um tempo em outro estado. Por isso falo sobre aquilo que tenho propriedade: Este preconceito existe sim!
Lógico, não parte de todos. Mas muitas pessoas de outros estados principalmente da região sudeste, que por sinal foi onde estive, agem de forma preconceituosa em relação aos nortistas e nordestinos. Em contrapartida, estive no nordeste a pouco tempo e fui muito bem recebida por lá. E ainda tive o prazer de desfrutar de suas belíssimas praias.
Não sou nordestina, e enm precisaria ser para discordar da forma como eles,em especial, foram tratados neste vídeo. Contudo, vou me limitar a falar de minha região. Fomos também atacados neste vídeo e já tô de saco cheio de ouvir piadinhas sobre minha região.

Selecionei algumas perguntas que estes sempre costumam nos fazer com suas respectivas respostas:

1- No Pará tem índio?
R= Tem sim Senhor!

2- No pará vocês andam de canoa (barquinho)!?
R= sim, andamos sim senhor!

3- No Pará tem jacaré!?
R= têm e dos grandões, viu?

4- No Pará tem gente feia!?
R= oxiii, tem cada tribufú!

5- No Pará é muito quente?
R= Quente de rachar 

- Ué já acabou!? Mas foi tão facinho!!
Mas alguma pergunta, meu senhor??

Agora gostaria de esclarcer algumas coisas. Se me permitir...

Esclarecimento nº 1: 
No Pará tem índio sim. Porém, não tem somente índios. Eles correspondem a 0,6% de uma população de 7.431.020 habitantes.
E ninguém anda pelado pelas ruas por aqui, viu!?
Eu sempre brinco que se eu demorasse mais um pouquinho na barriga da minha mãe teria nascido índia.
Acho linda a cultura indígena. Sem nem mesmo conhecer uma aldeia indígena. Não por falta de vontade!
Na universidade onde estudo tem uma menina índia. Aos meus 19 anos de idade foi a primeira vez que vi uma índia de tão pertinho. Lembro-me que a primeira vez em que a vi comentei com meus amigos que a invejava, pois queria muito ter aquela linda cor, aquele belíssimo cabelo liso e aqueles olhos pequeninos e negros. 
E mês passado descobri que ela é uma das moradoras da casa "menina fantástica." É, aquele programa da rede globo em que eles vão a cada estado do Brasil selecionar garotas para seguirem a carreira de modelo.
Achei o máximo ser representada lá fora por uma índia. Embora, essa escolha deles também possa ser interpretada de uma outra forma. Mas deixa quieto, foi uma belíssima escolha.
Não entendo porquê esse preconceito todo com os índios. Afinal quem tem mais direitos a estas terras brasileiras em que pisamos??
Será que deu apagão geral nesse povo ? Alguém aqui se lembra da colonização de nosso lindo Brasil?
Pra começar nem os "homens brancos" quando chegaram nestas terras tupiniquins resistiram a gostosura de nossas índias. E o resultado não podia ser outro:
Era Português comendo índia. Índio comendo mulher branca e ainda entraram os negros e negras escravas na jogada. Sem contar com os outros povos que vieram  posteriormente como os italianos, espanhóis, etc.
E o que surgiu de toda essa mistura de raças??
O que já era de se esperar: UMA NAÇÃO MISCIGENADA!!
Poucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias como ocorreu no Brasil.
E foi assim, por exemplo, que eu entrei na jogada. A mulatinha aqui é fruto da mistura de: Italianos, negros e índios!
O Brasil está para os mulatos assim como o Lula está para a Dilma (péssima comparação)
Mesmo que dados do IBGE de 2000 digam que 53,7 % dos brasileiros são brancos. O que não pode ser considerado 100% verdade. Visto que muitoS se autodeclaram brancos sem nem mesmo ser. Fruto de um racismo enraizado na cultura do país.

E para terminar deixo a frase do antropólogo Gilberto Freire na obra “casa- grande e senzala”.

"Todo brasileiro, mesmo o alvo, de cabelo louro, traz na alma, quando não na alma e no corpo, a sombra, ou pelo menos a pinta, do indígena e/ou do negro"

Esclarecimento nº 2: Já era de se esperar que um estado integrante da Amazônia brasileira fosse recheado de rios. O que não quer dizer que não tenhamos aqui ruas, estradas, rodovias e até mesmo BR’s,  acredita!? 
Logo, se temos ruas também temos automóveis: carro, ônibus, caminhões, etc. OOHHHHH!!
Adoraria que minha cidade (Belém) fosse como Veneza. Já imaginaste
que chique seria!? Só que ao invés de canais  andariamos (de barco) em nossos Rios. Que por sinal  são de água doce ,viu!? Olha só, em plena época de crise ambiental e nós aqui do norte velejando sobre uma das maiores riquezas da terra: ÁGUA DOCE!
E mais, eu nem precisaria ficar duas horas dentro de um ônibus para chegar  até a universidade, não enfrentaria engarrafamentos no trânsito e 
ainda deixaríamos de despejar gases poluentes para nossa atmosfera.
É, sonho de uns pesadelo de outros!
#Fotografei este ribeirinho acima no rio Guamá que passa atrás da universidade onde estudo. 

Esclarecimento número 3: O jacaré-açu é uma espécie de jacaré exclusiva da América latina e se não estou enganada é o maior jacaré do mundo chegando até 6 metros e meio de comprimento (se estiver enganada me corrija, ok?).
É este bichão que temos por aqui... Eu nunca tive o prazer ou o desprazer de encontrar um bicho desses pelas ruas e nunca vi ninguém andando pisando sobre cabeças de jacarés, como já me disseram uma vez... Mas prometo que se um dia eu ver um, posto a foto aqui no blog. Mas acho um pouco difícil isso acontecer, pois além de viverem em cidades distantes, no interior.Essa espécie esteve a beira de extinção pois seu couro possui alto valor comercial e sua carne é por muitos apreciada. Uma pena!
São as consequências de um dito progresso que andam pregando por ai...
Obs: E a Marininha nem ganhou as eleições, ou seja, lá se vão mais 4 anos sem nosso desenvolvimento sustentável.

Esclarecimento nº 4: Mulher feia, meu neguinho (sem querer ofender tá? ) tem em todo canto. Eu tenho andado meio depressiva por que engordei 6 quilos (Fruto de muita comida industrializada baby!!)e meu namorado para acalentar minha alma me enviou um e-mail com fotos de várias famosas sem maquiagem. Jesus amado!! Quê que é isso??
Agora me diz, se até as celebridades com todo seu poderio econômico são feias, eu to reclamando do que, Heim Benhê? (Tá certo, que logo que vi o e-mail me senti um pouco ofendida, rs).Pelo menos eu nasci de olhos verdes ou quase verdes. Ahh, sei lá. Eles são um sucesso!
Agora meu amor se não quer ver gente feia, tranque-se em sua casa e morra de tédio!!
Ou ande com uma venda nos olhos, ou melhor, com um alarme anti-gente feia. Assim sempre que ele apitar você respira fundo e aperta os olhos bem forte até sangrar...

Ora bolas, se ser feio fosse problema o Shrek não teria feito tanto sucesso!

 Esclarecimento nº 5: Não vou mentir não, aqui é quente pra Dedéu!
Eu saio uma bonequinha de casa e Chego uma monstrinha na faculdade.
Andar de chapinha é um problema.
Um problema, é claro, para mim que sou pobre e tenho que andar de ônibus. Mas para a elite altamente ¨evoluída e sofisticada¨ como estes deste vídeo ai de cima...O que é o calor para quem tem ar-condicionado em seus carros, casas e até no piiiiii, se duvidar? (nada contra!)
Hey, não sou contra o progresso e sim contra as formas que estão sendo utilizadas para chegar até este. E cá para nós, no Brasil esse lance de progresso nunca deu muito certo, não é!?
Basta lembrar dos militares com seus planos para desenvolvimento da Amazônia que não respeitavam as populações que lá residiam . E quem lembra do lema desenvolvimentista “50 anos em cinco” de JK que resultou em aumento da inflação e desvalorização dos salários?
E o recente PAC  de Dilma? Alguém aqui ouviu falar de uma tal usina de Belo Monte??
Agora o que mais me chamou a atenção neste vídeo foi o que disse uma garota: “Gostaria que existisse um muro para separar o norte e o nordeste do resto do país.”

Eu pensei: “Nooooooossa que boazinha essa menina ,heim??”

Vai deixar a amazônia legal e de quebra mais uma parte do litoral tudinho pra gente, que maravilha!

Ameiiii!
Tudo para os índios do Norte e para os cabocos do nordeste.
Ela tem um belo coração, não acham? hahahaha.

A garota que começou essa onda toda de xenofobia no twitter é ou era, sei lá, estudante de direito.
Me envergonha saber que ela, que é parte da  classe intelectualizada do Brasil que corresponde a 4% da população pense desta forma. Ela e muitos outros.
Um povo que se considera “evoluído e superior”  mas que tem o preconceito, o racismo,
pugente em suas veias é evoluído em que? Me diga pelo amor de Deus!!
Se ser evoluído é ser assim, eu prefiro passar o resto de minha vida pisando na cabeça  de jacarés, que coitados, nada fizeram para sofrer tamanho preconceito.

Belém - Pará - Brasil

... Região Norte, ferida aberta pelo
progresso, sugada pelos sulistas e
amputada pela consciência nacional...

Vão destruir o Ver-o-Peso
e construir um shopping center
Vão derrubar o Palacete Pinho
pra fazer um condomínio
Coitada da Cidade Velha
que foi vendida pra Hollywood
pra ser usada como albergue
no novo filme do Spielberg

Quem quiser, venha ver
Mas só um de cada vez
Não queremos nossos jacarés
Tropeçando em vocês

A culpa é da mentalidade
criada sobre a região
Porque que tanta gente teme?
Norte não é com "M"
Nossos índios não comem ninguém
agora é só hamburguer
Porque ninguém nos leva a sério?
Só o nosso minério...

Aqui a gente toma guaraná
quando não tem Coca-Cola
Chega das coisas da terra
que o que é bom, vem lá de fora
Deformados até a alma
Sem cultura e opinião
O nortista só queria
fazer parte da nação

Ah! Chega de malfeitura
Ah! Chega de tristes rimas
Devolvam a nossa cultura
Queremos o Norte lá em cima
Porque, onde já se viu?
Isso é Belém
Isso é Pará
Isso é Brasil

Quem quiser venha vê
Mas só um, de cada vez
Quem quiser venha vê
Mas só um, de cada vez
não queremos, nosso jacaré
tropeçando em você...
http://www.vagalume.com.br/mosaico-de-ravena/belem-para-brasil.html#ixzz14dQSvvT7


Ahhhh, deixo como dica o texto de minha ex-professora joana vieira disponivel no blog dela mesma: http://joanavieirapontocom.blogspot.com/2010/10/indio-quem.html