segunda-feira, 17 de maio de 2010

No silêncio eu à vejo

Deitada naquela rede... é lá que sempre à vejo.
Se chego em casa ela está lá. Com o olhar distante,
cansado, penetrante...
Depois que Ele se foi é assim que sempre à vejo.
Deitada naquela rede como se esperasse algo
que há muito espera e nunca chega.
Vejo naqueles olhinhos muita tristeza e
Com aquela voz trêmula sempre me diz,



"Que ora por mim pra que eu seja muito feliz."

Às vezes sinto que quer  me dizer algo mais...

Toda noite ela chora e pergunta pra Deus
porque não foi ela ao invés dele.
"seu filho querido."
Que sempre chegava em sua casa com
um sorrisão no rosto. Brincalhão.
Ele que fazia todas as suas vontades e
toda noite chegava em sua casa com aquela sacolinha de frutas
fresquinhas para dar a mãe.

Ela é meu anjinho da guarda. Sempre me defendia
de minha mãe quando eu aprontava alguma.
Hoje vê-la ali naquela rede deitada,
Corta meu coração.

Basta um abraço ou um cafuné
pra fazê-la banhar o rosto em lágrimas e,
logo, começar seu discurso de quem já viveu muito
e sabe de tudo desta vida.
É sempre à mesma coisa:

"Estude minha filha, estude..."

Entre lágrimas ela lembra dele
Seu filho do coração.
Que todos amávamos mas,
ninguém sente tanto à falta dele como ela.
Ninguém sente como mãe...
Justo ela  que sempre foi uma mãezona.
Criou seus dois filhos sozinha.
E os fez pessoas maravilhosas, eu sou prova disto.
Depois que seu marido a abandonou
nunca ouvi falar de outro homem em sua vida.
Olho para aqueles olhos e fico tentando imaginar
Como teria sido sua vida? quantas histórias interessantes ela deve ter para contar...?
Mas também respeito seu silêncio.
No seu cantinho muitas vezes passa desapercebida.
 Mas ela está lá, sempre lá...
E fico a perguntar-me se ela ainda tem sonhos?
Quais serão sua metas? seus objetivos?
Ou será que apenas espera a...?

 Só sei que ainda quero curtir muito minha velhinha,
Mesmo tristonha ela é engraçada.
Sempre reclamando de uma dor aqui, outra acolá . rs
Tem dias que ela cisma estar "magra igual a um palito, só o osso."
Em outros "gorda igual uma sapa."
Minha velhinha é toda bonitinha.
Acho que foi uma linda mulher e, ainda é.
É de pele branca e seus cabelinhos são branquinhos, branquinhos, embora,
ainda possuam vestígios de que um dia foram louros.
Ainda guarda um pouco de sua decedência italiana.
O corpinho todo bem definido.
E o bumbum empinadinho? é uma gracinha! rs

Ahhh! ela também adora ler...
Pensei seriamente em pedir para ela fazer o vestibular no meu lugar.
Ela lia todas minhas apostilas, era muito engraçado.
Sempre empresto uns livros pra ela...
É bom, pois, assim ela distraí um pouco e não pensa muito nele...
Passa a maior parte de seu tempo ali naquela rede.
Ás vezes dormindo, outras pensando...
Às vezes lendo a bíblia ; reclamando ou até mesmo chorando.
E assim ela segue sua vidinha. Todos os dias as cenas se repetem.

Agora ela está sentada em sua rede,
Chorando baixinho para não incomodar...

3 comentários:

  1. É verdade, a gente só costuma dar valor às coisas quando as perde. E eu sempre fiquei me perguntando quais são as motivaçoes dela pra continuar vivendo... Muito bom ter feito um post pra ela... ela merece.

    ResponderExcluir